Onde foi que eu já ví isso mesmo?

“Não era a primeira vez na vida que me sentia como se estivesse naquele programa de pegadinhas, Cosmic Candid Camera. Há muito já deixara de acreditar que o Deus que me fora designado era um velhote bonzinho, de cabelo comprido e barba. Era mais como um Jeremy Beadle celestial, e minha vida uma vitrina que ele usava para divertir os outros deuses.

O-olhem — convida ele, às gargalhadas —,como Rachel pensa que arranjou um novo emprego e acha seguro se demitir do antigo. Mal sabe ela que sua nova firma está prestes a ir à falência!

Gargalhadas de todos os outros deuses.

Ali, o-olhem — esbalda-se ele. — Como Rachel caminha apressada para se encontrar com o novo namorado. Estão vendo como ela prende o salto do sapato numa grade? Estão vendo como o salto sai inteirinho? Mal sabe ela que aquela grade tem dedo nosso. Estão vendo como ela manca pelo resto do percurso?

Mais quiriquiqui por parte dos deuses reunidos.

Mas o melhor de tudo — ri Jeremy —, é que o homem com quem ela ia se encontrar não dá as caras. Ele só a convidou para sair por causa de uma aposta. Observem como Rachel não sabe onde enfiar a cara de tanta vergonha, naquele bar elegante. Estão vendo os olhares de piedade que as outras mulheres lançam para ela? Estão vendo como o garçom lhe entrega a conta astronômica daquele copo de vinho e, o melhor de tudo, como Rachel descobre que esqueceu a bolsa em casa.

Gargalhadas incoercíveis.”

Ah sim!!! Na minha vida.
Sem ânimo pra blog, pra vida, pra nada.
Volto, se voltar, sabe-se Deus quando.

(se alguém se interessar, esse trecho é do livro “Férias”, da Marian Keyes)

Anúncios