Todos os dias vindo trabalhar passo por um carro estacionado com vários adesivos “Quer emagrecer? Pergunte-me como!” e sempre fico tentada a parar e perguntar.
Hoje, vindo para cá, passei por ele e, como tinha pouca gente na rua, parei. Olhando para os lados para ver se não tinha nenhum conhecido, coloquei as mãos nos bolsos e me aproximei do carro perguntando baixinho:
“- Como?”
Silêncio do outro lado. O carro parecia não ter me ouvido.
“-Como?” – repeti, um pouco mais alto.
Nada. Estava sentindo o rosto corar, algumas pessoas já paravam com suas atividades matinais para ficar me olhando…
“- COMO?” – Gritei, num misto de vergonha e desespero por não ser ouvida.
Nada… Aquele maldito Gol adesivado se mantinha em silêncio e eu já era capaz de dar a minha vida por essa resposta.
C-O-M-O, PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!! ME RESPONDE MALEDETOOOOO!!!!!!”
E, num surto motivado pelo desprezo do carro, pela importância que essa resposta teria na minha vida, pela vergonha que eu sentia perante aos passantes que já paravam para ver, apontar e rir das minhas perguntas, peguei um pedaço de pau e comecei a quebrar vidros, para choques, retrovisores, painel, arranquei com os dentes todos os adesivos do carro, batia a cabeça contra o capô repetidas vezes.
Nisso reparei que os curiosos que estavam parados começaram a correr, uma mulher grávida começou a chorar, um executivo gay repetia “MEO DEOS, MEO DEOS”, um jovem nerd gravava com o seu celular e ria, dizendo “HAHAHA, VOU UPAR NO YOU TUBE E COLOCAR NO MEU BLOG! VOU FATURAR COM O ADSENSE!”.

Quando finalmente me acalmei, saí rebolando e jogando o cabelão, entrei no meu carro e passei numa farmácia. Me pesei e ali estava: 100 gramas a menos!!! Era essa a resposta!!! Uau! Nada como um exercício físico logo pela manhã!
Amanhã preciso procurar outro carro.

Em breve, novo episódio.

ps. 1: Infelizmente, isso é ficção. No stress que eu ando seria bem legal quebrar alguma coisa.
ps. 2: Do jeito que Murphy me ama, é bem capaz que eu engordasse 100 gramas com esse tipo de atividade.

Anúncios