Ontem eu estava no posto tomando cerveja e conversando com as meninas quando surgiu um assunto comum: pé na  bunda. (quem não passou por um, certamente passará um dia). Lembrei de um causo engraçado e resolvi compartilhar aqui no pqnão também…

Minha primeira desilusão foi com uns 8 anos e eu invejo a postura que assumi naquela ocasião. Eu era “apaixonada” por um menino da minha sala e ele desenhava muito bem. Então, no dia dos namorados eu comprei uma lapiseira toda bonita pra dar de presente para ele (afinal, se eu gostava dele, ele automaticamente era meu namorado, certo? – pelo menos na minha cabeça ele era! kakaka).

Na aula de Educação Física eu peguei o presente, fui até onde ele estava e falei “Jorge, Feliz Dia dos Namorados” e entreguei a lapiseira. Ele pegou, abriu, olhou, JOGOU A LAPISEIRA EM MIM e falou: “eu não sou seu namorado!!!”.
A minha reação foi a mais linda de todas : Abaixei, peguei a lapiseira no chão e falei “Então ótimo, ganhei uma lapiseira nova”, virei as costas e saí, toda orgulhosa.

Imagina que máximo ser capaz de ter essa reação hoje em dia? “Ah, você não me quer? não tem problema!!!” ou “Então tá, nós terminamos mas quem vai ficar mal é você!!”.

Desilusões são inevitáveis mas o sofrimento é opcional! 😉

Beijos para todos!!

Anúncios